Meu recanto

"A IMAGINAÇÃO É MAIS IMPORTANTE QUE O CONHECIMENTO" (ALBERT  EINSTEIN)

Textos

NA SUA E NA MINHA MENTE
VENHA!
(Pr/Poét/29)


     Venha! - Não sei andar mais só. Necessito ao menos da sua sombra, forte ou fraca, não saberei qual. Minha força é frágil e as flores da estrada me seguem com o seu olhar. - Vem, siga comigo. És forte e eu te tenho apreço ou amor, quem sabe? Sentemo-nos aqui em frente ao lago. À ele poderemos confidenciar nossos segredos, pois, o lago é vasto e quieto. Nada aqui sofrerá restrição e o sol doura a hora de nós dois e a do lago. Sinta o vazio do mundo nesse instante. É como se o tudo é nada e/ou coisa alguma, é profundo, é silêncio a dois. Põe a mão no meu cabelo, deixa-me sonhar e eu preciso. O lugar, aqui, não nos exaure, é um momento sem mundo, sem movimento, sem stress mental e você está aqui. - Como te sentes? Sente medo de um toque meu? - É o coração que suplica, é o querer mútuo, indescritível, é mistério dual em sentimentos, súbito e etéreo que se apodera do nosso abandono, aqui, diante deste lago. Falemos sobre... sobre o mistério da existência, topas? - Haverá opressão, afinidade, haverá a pedra? Onde estará a flor? É como se nada existisse agora e não existe, aqui, nada respira. A loucura é nociva ao sentimento puro e o sentimento, muitas vezes pede loucura. - E o sonho? Nos invade, nos embala e por instantes se instala, baila e sente, prova tudo, deixa a mente vagar... ludibria, perde-se, sequer quer retornar. - "STOP"!  - Estaremos nos acostumando com a infelicidade e ou/ tampouco, sabemos o que é felicidade? Felicidade é ser natural, calmo, pensamento lúcido, é ignorar o tic-tac do relógio, a aflição da humanidade. - Sente a presença do relógio? Estamos aqui, eu e você nesse lugar sem mundo a nos azucrinar. Estamos aqui, desnudos, com os nossos medos, fracassos, diante das conjecturas da vida, tentando decifrar um pouco do que se passa e assola nossas mentes, a dúvida, algo que atormenta sem saber. Ninguém nos conhece aqui, nem mesmo a aragem nos descortina. Nós dois, somos metade, com ou sem amor, apenas, somos, sentimos, nos calamos e isso para mim é existência encravada, sem alma e sem palavras. Não dizemos nada um ao outro porque silenciar é dizer tudo. Estamos serenos aqui com nossos meneios inocentes e quietos. Aqui é paz e a paz é candura d'alma. Somos níveos eu e você. Ouça: Estar nesse espaço é como estar no Éden da nossa imaginação. Deixemos nossas mentes vagarem nesse empíreo desconhecido, porém, profundo e fundo. Isso é o que nos parece, aqui e agora. Veja! As estrelas apontam no céu e aos poucos cobrirão toda abóbada celeste e por mais uma noite reinam e brilham, longínquas, encantando os poetas que não cansam de  vê-las e escrevê-las, quando dos seus soturnos silêncios. Podemos ficar aqui até o amanhecer, você quer?  - Diante de tudo isso ... estás consumido desse nosso silêncio?  
EDIDANESI
Enviado por EDIDANESI em 01/03/2020
Alterado em 02/03/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras