Meu recanto

"A IMAGINAÇÃO É MAIS IMPORTANTE QUE O CONHECIMENTO" (ALBERT  EINSTEIN)

Textos

A DOR QUE NINGUÉM VÊ
(OR/04)

Suplico Senhor
Neste domingo,
Afaste a dor de mim!
Ao menos um pouco que seja
Ontem, tão intensa.
Depois de tanta tribulação
Não rejeito a sabedoria,
Existe recompensa
Ou, somente indiferença?
Pus os meus pés nos meus grilhões
E o meu pescoço nas minhas cadeias
Tentei aproximar-me com o meu coração
E guardei os caminhos com todas as minhas forças
E você não se manifestou Senhor.
E eu não encontro um descanso
Lamentos são tantos,
E tento ouvir
E não sou sábio.
O meu tempo de vida
É curto e cheio de tédio
Minha respiração é apenas uma fumaça
E a razão, uma faísca,
Que faz bater o meu coração.
Tento ser justo, e não consigo.
Sou ímpio e me sinto indigno,
Perante o Senhor, Senhor!
Erga-me ao teu olhar!
Quero morrer mais depressa
Já não tenho esperanças
A geração é formosa e quer ser casta
Quer triunfar e ser coroada, Clã!
E eu Senhor, estou cansado e flébil.
A inconstância, dos meus dias,
Arrebata a minha vida,
Reflete no meu coração convexo,
E o põe perplexo,
E transtorna o meu espírito inocente!
Quem sente e quem vê a minha dor Senhor?
Minha pouca alegria é dissipada pela tempestade
A justiça se faz couraça contra a insensatez
E a prudência se reforça nas ínfimas coisas
Que vivo que possuo que choro, que sorrio!
Reservo-me nos meus pensamentos dignos e
Com o início, o fim e o meio do meu tempo,
Do curso dos solstícios e
Das vicissitudes das estações
E as disposições de miríades de estrelas.
Peço licença de poder falar o que sinto
Pelo dom que recebi e me corrige
Conceda-me a pureza e a sabedoria,
Um pouco que seja, apenas,
Não deixa que eu fraqueje.
Quero ser um pouco sol
Um pouco noite e lhe peço:
Não deixe que me açoitem
Pelo menos, hoje, Senhor,
Amém!
EDIDANESI
Enviado por EDIDANESI em 14/04/2012
Alterado em 19/11/2017
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras